Crescimento de 2,1% do PIB gaúcho supera o desempenho nacional no primeiro semestre

Pesquisadores da FEE também apresentaram o desempenho do segundo trimestre e lançaram aplicativo para visualização dos dados de modo ágil e acessível

A soma das riquezas produzidas pela economia gaúcha no acumulado de 2017 alcançou 2,1% de crescimento, enquanto o Brasil teve resultado nulo. O resultado do PIB do RS nos seis primeiros meses do ano, apresentado nesta quarta-feira (13) na FEE,  foi fortemente influenciado pelo desempenho total da agropecuária, que cresceu 11,7%, com desempenho destacado da soja (+ 15,7%). Já na indústria, o destaque foi para a  Indústria de transformação ( +1,9 %), especialmente a indústria do fumo (+40,2%). Nos serviços , o melhor resultado foi do comércio (+1,3%), com a recuperação da comercialização de veículos (+15,7%).

A equipe de pesquisadores do Núcleo de Contas Regionais da FEE (NCR) também apresentou os dados do segundo trimestre deste ano. Em relação ao mesmo trimestre do ano passado, o crescimento do PIB foi de 2,5% e em relação ao trimestre imediatamente anterior, foi de 0,7%.

A revisão dos dados  da agricultura para o primeiro trimestre de 2017 mostrou que o resultado do PIB nesse período não foi nulo, conforme anunciado em junho, mas alcançou uma taxa de crescimento de 1,5%.A atualização e os ajustes das estimativas e dados prévios são usuais. Neste caso, o que chama a atenção foi a superação das expectativas com relação ao setor agrícola, embora se estimassem bons resultados.  “Já se esperava um belo resultado da agricultura devido às condições climáticas e aos investimentos realizados pelo setor. Já a indústria de transformação mostrava desde o final de 2016 que o fundo do poço já havia sido superado. Neste quadro o bom resultado do comércio no segundo trimestre é que é novidade”, analisa Roberto Rocha, coordenador do NCR. De acordo com o economista, dentre os fatores que condicionaram o bom desempenho do comércio podem se elencar a queda da inflação, a estabilização da taxa de desemprego, a liberação dos saldos do FGTS e a renda agrícola.

Embora os resultados sejam mais animadores, Roberto Rocha é cauteloso. “O desempenho bastante negativo da construção civil no semestre (-5,8%) e a falta de crescimento dos outros serviços ao longo de 2017 (0,0% ) apontam a necessidade de cautela na intensidade do crescimento”, alerta.

Os dados completos do PIB trimestral estão disponíveis com uma nova opção de acesso. A  atualização e apresentação das informações ganharam uma inovação, o PIBVis, ferramenta que facilita o acesso e a leitura dos  dados, novo aplicativo do visualiza FEE.

Nas informações do PIB Trimestral, calculado e divulgado pela FEE, são apresentadas as taxas de crescimento (volume) do Produto Interno Bruto a preços de mercado, dos impostos sobre produtos, do valor adicionado total a preços básicos e dos valores adicionados de 11 atividades. Ao final dos quatro trimestres do ano, é apresentado o valor corrente do PIB, dos impostos, do valor adicionado total e do PIB per capita. O estatístico da FEE Renan Xavier Cortes mostrou como todas essas informações podem ser acessadas de modo interativo e dinâmico, com diversos cruzamentos de dados. “Utilizamos uma ferramenta de código aberto sem qualquer custo e desse modo disponibilizamos para a sociedade um acesso livre, gratuito, simples e ágil”, explica Renan.

O chefe da unidade estadual do IBGE no Rio Grande do Sul, José Renato Braga de Almeida, presente no lançamento, destacou a importância da parceria com a FEE e a inovação e o ineditismo no país da ferramenta desenvolvida pela Fundação, o PIBVis. “Em termos de unidades estaduais, a FEE sempre foi um dos principais parceiros do IBGE pelo trabalho que vem desenvolvendo, e para nós que somos coordenadores das estatísticas oficiais  é fundamental ter um parceiro com tanta representatividade. Essa inovação do PIBVis é para nós, fornecedores de informações para sociedade,  muito importante  porque facilita o acesso. Uma ferramenta que se mostra fundamental para que a sociedade, os pesquisadores e a imprensa entendam os números, que são confiáveis porque são de uma fonte com muita qualidade. Eu não tenho conhecimento de outros estados de um trabalho com essa qualidade”,destacou.

As fotos do lançamento podem ser acessadas aqui.

 

Sandra Bitencourt- Jornalista

Texto: Núcleo de Imprensa - FEE