Caem empregos do agronegócio em abril, mas ano segue com saldo positivo

A Fundação de Economia e Estatística (FEE) atualizou os dados do emprego formal celetista do agronegócio do Rio Grande do Sul e do Brasil e aponta queda, pela primeira vez no ano, referente a abril de 2017, com a perda de 2.288 postos de trabalho com carteira assinada. As estatísticas, no entanto, revelam que o saldo em 2017 segue positivo e que esse é um movimento sazonal que se repete nesta época do ano.

O número de admissões (13.639) foi inferior ao de desligamentos (15.927) em abril. De acordo com os pesquisadores do Núcleo de Estudos do Agronegócio, a redução do estoque de empregos com carteira assinada a partir do segundo trimestre reflete a sazonalidade da produção agrícola, podendo ser interpretada como um movimento característico do setor, que se repete anualmente, já que há desmobilização parcial de trabalhadores contratados temporariamente em atividades direta ou indiretamente vinculadas à colheita e ao recebimento da safra de verão no Estado.

Acesse aqui os resultados completos do Rio Grande do Sul para o mês de abril, o acumulado do ano e os últimos doze meses.

Sandra Bitencourt- Jornalista

Texto: Núcleo de Imprensa - FEE