Debates FEE: Indicadores sociais e finanças públicas gaúchas: perspectivas de desenvolvimento

A Fundação de Economia e Estatística (FEE) realizou na tarde desta quarta-feira, dia 12 de agosto, mais uma edição dos Debates FEE. O evento – Indicadores sociais e finanças públicas gaúchas: perspectivas de desenvolvimento – integra a programação especial da Fundação alusiva ao Dia do Economista, comemorado no dia 13 de agosto.

evento hoje

Economistas da FEE, Liderau Marques (esq.), Igor Morais – Presidente da Fundação – Bruno Caldas e Marcos Wink

O Debate FEE desta tarde, que lotou o auditório da Fundação, teve a mesa composta pelo Presidente da Instituição, economista Igor Morais, pelo mediador, o economista e assessor da Presidência Bruno Caldas e pelos dois palestrantes. “A consolidação fiscal do estado do Rio Grande do Sul é necessária?”, foi o tema da apresentação do economista e pesquisador Liderau Marques e o economista Marcos Wink abordou alguns dos indicadores sociais, na palestra “Cenário Social do Rio Grande do Sul”.

Na terça-feira, 11, a FEE lançou a Carta de Conjuntura do mês de agosto. A Carta de Conjuntura FEE é uma publicação mensal que teve seu primeiro número divulgado em maio de 1991 e que tem por objetivo analisar as questões mais importantes da conjuntura econômica nacional e regional.

Amanhã, quinta-feira, 13 de agosto e Dia do Economista, a Fundação de Economia e Estatística promove outro Debates FEE: “Momento atual e perspectivas para a economia brasileira”. O professor e pesquisador da UFRGS Marcelo Portugal questiona: “O delicado momento atual: Há luz no fim do túnel?” e Ronaldo Otto Hillbrecht (UFRGS) discorre sobre “Por que é difícil mudar? A Economia Política das reformas”. A mediação é de Bruno Caldas, economista e assessor da Presidência da FEE.

O evento acontece às 14h, no Auditório FEE.

Texto: Núcleo de Imprensa - FEE