“A economia brasileira tem na sua base o agronegócio”

Nesta segunda-feira (27), o pesquisador Arlei Luiz Fachinello falou na FEE sobre o Produto Interno Bruto (PIB) do agronegócio brasileiro. O palestrante é professor adjunto do departamento de economia da Universidade Federal de Santa Catarina e pesquisador do Centro de Pesquisas Econômicas Aplicadas (CEPEA) da ESALQ/USP, onde é um dos responsáveis pelo cálculo do PIB do Agronegócio do Brasil. No evento, Arlei destacou a importância do agronegócio para a economia brasileira e os desafios metodológicos de monitorar o setor.

27866571921_b8c0b03710_o

Arlei Fachinello (E) trata do cálculo do PIB do agronegócio brasileiro, com a mediação de Rodrigo Feix

O pesquisador Arlei Fachinello contou a experiência do CEPEA no cálculo do PIB do agronegócio no país. “É um desafio tentar não só dimensionar mas também fazer o acompanhamento do setor ao longo do tempo”. Sobre a importância do setor, o pesquisador ressaltou que grande parte da economia brasileira está envolvida no dia a dia com as atividades ligadas ao agronegócio e por isso é importante monitorá-las. “A economia brasileira tem na sua base o agronegócio, não só a agricultura mas todo o conjunto de atividades que fornecem insumos, processam e distribuem produtos agropecuários. Inclusive grande parte do volume das exportações brasileiras é referente ao  agronegócio”, destaca.

O papel dos institutos de pesquisa é tornar esse acompanhamento possível e disponibilizá-lo ao público. “Devemos acompanhar e perceber dentro dos vários segmentos do agronegócio como está a dinâmica do dia a dia, se tem setores que crescem mais ou crescem menos, como está a cadeia como um todo. A ideia é poder fornecer alguns indicadores para o mercado e para a sociedade em geral”, afirma Fachinello.

27866574851_ab7e5bbfcb_k

Público externo e pesquisadores da FEE acompanham a palestra

O economista Rodrigo Feix, coordenador do Núcleo de Estudos do Agronegócio da FEE, enfatizou a importância de entender como se dá o acompanhamento desse setor que também é fundamental para a economia gaúcha. “A importância da agropecuária para a economia gaúcha é amplamente reconhecida porque se trata de uma atividade que oferta matéria-prima para diversas outras atividades industriais, principalmente a indústria de alimentos. Além disso, é uma atividade que demanda insumos, máquinas e equipamentos de uma indústria que, no caso do Rio Grande do Sul, é bastante especializada e concentrada”, resume. Apesar da importância reconhecida do setor, o adequado dimensionamento dos efeitos e encadeamentos desta atividade sobre o conjunto da economia é ainda difícil de ser determinado. “Por isso é importante nos atentarmos para as questões metodológicas. Entender como é feito o cálculo do PIB do agronegócio brasileiro contribui para o debate, enriquece as discussões, e possibilita avaliar a possibilidade de fazermos na FEE um exercício similar para o Rio Grande do Sul e que seja compatível com as contas regionais”, projeta Feix.

Confira as fotos da palestra, a apresentação completa e acesse os mais recentes indicadores do agronegócio produzidos pela FEE.

Gisele Reginato – Jornalista

Texto: Núcleo de Imprensa - FEE