Emprego com carteira assinada no agronegócio gaúcho diminui em abril, mas saldo de 2016 ainda é positivo

Em abril de 2016, o emprego com carteira assinada no agronegócio do Rio Grande do Sul diminuiu em 3.535 postos de trabalho, informou a Fundação de Economia e Estatística (FEE) nesta segunda-feira, 13. O número reflete a diferença entre admissões (12.716) e desligamentos (16.251) de trabalhadores formais celetistas nas atividades que compõem o agronegócio.

“Esse movimento de queda no emprego formal do agronegócio gaúcho é característico do segundo trimestre, quando o ritmo de contratações diminui e acontece a desmobilização de parte da mão de obra contratada para a colheita, recebimento e comercialização da safra de verão”, analisa o economista e Coordenador do Núcleo de Estudos do Agronegócio Rodrigo Daniel Feix.

Apesar da perda de empregos em abril, o saldo acumulado no ano permanece positivo, com criação de 17.521 postos de trabalho no agronegócio gaúcho.

feix agro 13 jun

 

Confira a íntegra do estudo, os procedimentos metodológicos e as fontes dos dados brutos aqui.

Anelise Rublescki

Jornalista

Texto: Núcleo de Imprensa - FEE