Exportações gaúchas em julho caem em valor e volume

O Rio Grande do Sul exportou US$ 1,734 bilhão em julho, uma redução de US$ 92,1 milhões (-5,1%) em relação ao mesmo mês de 2015. Tanto o volume embarcado para o exterior (-4,4%) quanto os preços médios dos produtos exportados (-0,7%) apresentaram retração. Os dados foram divulgados nesta terça-feira (23) pela Fundação de Economia e Estatística. Segundo Tomás Torezani, pesquisador em Economia do Núcleo de Dados e Estudos Conjunturais da FEE, “o resultado de julho vem na contramão das elevações em valor e volume das exportações gaúchas em maio e junho, repetindo o desempenho negativo de abril. Em contrapartida, a intensa retração dos preços dos bens exportados iniciada em meados de 2014, embora incipiente, começa a apresentar sinais de desaceleração. Ainda assim, foi a menor receita em dólar para um mês de julho desde 2010”, explica.

Apesar da redução das receitas, do menor volume embarcado e da perda de uma posição no ranking dos principais exportadores (de 3º em julho de 2015 para 4º em julho de 2016), o Rio Grande do Sul ganhou participação nas exportações nacionais (de 9,9% para 10,6%). “Explicam esse resultado as exportações de duas plataformas para extração de petróleo pelo Rio de Janeiro (estado que ultrapassou o RS em 2016) e o fato de outros estados terem apresentado retrações ainda maiores que a exibida pelo Rio Grande do Sul”, pontua Torezani.

O recuo do valor exportado pelo Estado no comparativo de julho 2016 com o mesmo período de 2015 resulta da retração das exportações dos produtos manufaturados (-20,5% em valor e -7,0% em volume). Já nos produtos básicos e nos semimanufaturados houve crescimento de US$ 36,1 milhões (+3,4% em valor e -4,1% em volume) e de US$ 9,2 milhões das vendas (+7,7% em valor e +24,5% em volume), respectivamente.

O destaque dos produtos básicos foi a elevação de 7,8% dos seus preços de exportação em relação a julho de 2015. Desconsiderando o crescimento do mês passado (de 0,8%), o último aumento verificado nos preços tinha sido em agosto de 2014, de 2,3%. “A soja em grão, principal produto dessa categoria, teve uma contribuição decisiva para o resultado e para a queda das receitas do Estado não ter sido maior. O crescimento de 11,9% do preço do grão no mês, mesmo com um recuo de 1,5% no volume embarcado, contribui para o crescimento de US$ 65,9 milhões (+10,2%) das suas receitas, atingindo o maior valor exportado para um mês de julho na história (US$ 712,9 milhões)” indica Torezani.  A oleaginosa representou 41,1% de tudo o que foi vendido pelo Rio Grande do Sul em julho.

A China foi o grande destino das vendas externas gaúchas em julho, alcançando 42,1% de tudo o que foi exportado. Apenas a soja em grão representou 90,1% (US$ 660,4 milhões) das compras de produtos gaúchos pelo gigante asiático. Na sequência aparecem Estados Unidos (7,2%), Argentina (5,1%), Bélgica (2,9%) e Espanha (2%).

No acumulado de janeiro-julho de 2016, as exportações do Rio Grande do Sul somam US$ 9,433 bilhões, um recuo de US$ 442,1 milhões em relação ao mesmo período do ano anterior (-4,5% em valor, +6,1% em volume e -10,0% em preço).

Acesse os dados completos sobre exportações

Anelise Rublescki

Jornalista

Texto: Núcleo de Imprensa - FEE