Exportações gaúchas continuam em queda em janeiro

A Fundação de Economia e Estatística (FEE) divulgou nesta quinta-feira (26) os dados das exportações do Rio Grande do Sul referentes a janeiro de 2015. As exportações estaduais registraram um valor de US$ 966,6 milhões, o que representa uma redução de mais de 10% em relação ao mesmo mês do ano passado. Esse desempenho acompanhou a queda nas exportações brasileiras de mais de 14% em janeiro.

exportações

Os economistas da FEE Adalberto Maia Neto (E) e Guilherme Risco apresentam dados das exportações

Apesar disso, o RS manteve em janeiro a quarta posição entre os principais estados exportadores brasileiros. O Estado tem uma participação de 7% do total exportado pelo País, abaixo de São Paulo (23,12%), Minas Gerais (13,97%) e Rio de Janeiro (10,71%). “É importante salientar que o RS possui ao longo da história uma grande tradição exportadora”, avalia o economista da FEE Adalberto Maia Neto.

Como índice positivo, a agropecuária se destaca, principalmente por um crescimento nas exportações de trigo. Em janeiro, o Estado exportou 459,2 mil toneladas de trigo, com valor de US$ 92 milhões, que representa um aumento de US$ 87,6 milhões em relação ao mesmo mês do ano anterior, mostrando uma recuperação do setor. O economista da FEE Guilherme Risco destaca que na exportação do trigo há um aproveitamento do cenário internacional desfavorável, exportando especialmente para Tailândia, Bangladesh, Vietnã, Coréia do Sul e Filipinas.

Na indústria houve queda de mais de 18% das exportações nos principais setores, no comparativo com janeiro de 2014, principalmente de produtos alimentícios, produtos químicos, máquinas e equipamentos, e derivados do petróleo. “O RS acompanha a tendência nacional, já que a indústria vem exportando menos no Brasil. O destaque positivo é para o aumento de US$ 12,2 milhões nas exportações de fumo”, aponta Guilherme Risco.

Entre os principais destinos das exportações gaúchas estão Argentina e Estados Unidos, mas ambos apresentando quedas em janeiro em relação ao ano passado. “Normalmente, janeiro é um mês fraco de exportações se comparado ao resto do ano, em função do conjunto de produtos exportados. Nosso principal produto é a soja, que é exportada no segundo e terceiro trimestres”, analisa Adalberto.

Confira os números e tabelas .

Texto: Núcleo de Imprensa - FEE