Exportações do RS registram nova queda em novembro em um ano negativo

Em sua última divulgação em 2014, a FEE apresentou o desempenho das exportações de novembro e o acumulado do ano no Rio Grande do Sul. Os números apresentados pelo economista Guilherme Risco indicam queda de 25,3% no volume exportado, bem abaixo do nacional (-2,2%), mas o Rio Grande do Sul se mantém na posição, em quarto lugar, entre os maiores Estados exportadores, com 8,36% das exportações nacionais. Nos primeiros onze meses do ano, as exportações no RS tiveram uma redução de US$ 6,6 bilhões em relação ao mesmo período do ano anterior. Apenas em novembro deste ano, a redução foi de U$ 1,6 bilhões.

Na avaliação do economista, o ano foi ruim para o Brasil (-6,1%) como um todo e alguns fatores mais específicos produziram efeitos negativos para o Estado, como a retração do mercado norte-americano, a imposição de barreiras pela Argentina para o setor de veículos e a volta do trigo ao patamar anterior. Contudo, o maior impacto foi causado pela redução de US$ 4,8 bilhões referente às três plataformas de petróleo exportadas em 2013 para o Panamá e a Holanda. Isso se somou a um total de US$ 5,9 bilhões de queda na indústria de transformação. Já na agropecuária, o setor foi puxado para baixo pela redução das exportações de soja (6,6% em valor e 3,2 % em volume) sobretudo para a China. O trigo também teve um índice expressivo de queda (91,2% em valor e 93,6% em volume) porque retornou a sua normalidade, já que no ano passado havia tido um crescimento atípico. Os maiores aumentos no acumulado do ano  referem-se aos derivados do petróleo (41,7% em valor e 43,9% em volume) e ao setor de couro e calçados (10,1% em valor e 3,2% em volume). Os principais destinos das exportações do RS neste ano foram China, EUA, Argentina e Paraguai.

Íntegra do texto aqui.

Apresentação em Slideshare aqui.

Texto: Núcleo de Imprensa - FEE