Segurança e educação são destaques da Carta de Conjuntura FEE

A Fundação de Economia e Estatística divulgou nesta quinta-feira (15) a Carta de Conjuntura de dezembro, cujos destaques são educação e segurança, com debate sobre os ciclos únicos em escolas e o CrimeVis, uma nova ferramenta para segurança pública no RS.

No texto Ciclo único no Rio Grande do Sul: o que dizem os dados? o pesquisador em economia Marcos Vinicio Wink Junior  e o bolsista de Iniciação Científica Luis Paese buscam discutir o desempenho, em termos de aprendizado escolar, das escolas que já são de ciclo único no RS e no Brasil.

Partindo da observação de que os resultados recentes de aprendizado escolar no RS são desalentadores, os autores tecem considerações a partir do Índice da Educação Básica no Rio Grande do Sul (IDEB) e, dentre as conclusões sinalizadas, observam que “A análise dos resultados permite a conclusão de que tanto em escala nacional, quanto para o RS, escolas públicas presentes em grupos de nível socioeconômico mais elevado (…) possuem médias superiores no IDEB dos anos iniciais. Além disso, há uma aparente evidência que as escolas que atendem apenas aos alunos dos anos iniciais do Ensino Fundamental, possuem, em geral, um desempenho melhor do que as escolas de Ensino Fundamental completo. Essa relação, no entanto, não é visível no RS, onde o perfil da escola não parece afetar sistematicamente seu desempenho por grupo de nível socioeconômico”. Íntegra do texto.

Luis Paese (esq), bolsista de iniciação científica da FEE, o economista Marcos Vinicio Wink Junior, o estatístico Renan Xavier Cortes e o Diretor Técnico da FEE, economista Martinho Lazzari.

Luis Paese (esq), bolsista de iniciação científica da FEE, o economista Marcos Vinicio Wink Junior, o estatístico Renan Xavier Cortes e o Diretor Técnico da FEE, economista Martinho Lazzari.

Outro tema em destaque é o CrimeVis: uma nova ferramenta para Segurança Pública no RS. No dia 23 de novembro de 2016, a Fundação de Economia e Estatística, fazendo uso de dados anuais disponibilizados pela Secretaria de Segurança (SSP) de 12 tipos de delitos e de uma série histórica desde 2002, divulgou um aplicativo inovador de visualização de crimes denominado CrimeVis. No texto CrimeVis: uma ferramenta para Segurança Pública no RS, o estatístico da FEE Renan Xavier Cortes faz uso da ferramenta e apresenta as taxas dos principais tipos de crimes no Rio Grande do Sul.

Esta ferramenta apresenta diversos tipos de visualização de dados, englobando algumas funcionalidades, como séries temporais, relacionamento criminal, mapas interativos, representação e download de dados. O software foi desenvolvido usando um recurso muito recente e gratuito que representa um poderoso dispositivo que pode orientar tanto gestores públicos na qualidade de gestão e combate ao crime, quanto a sociedade com relação ao acesso aos dados. O CrimeVis foi programado em Shiny e pode ser acessado no link http:/shiny.fee.tche.br/CrimeVis. Íntegra do texto.

Outros temas da Carta de Conjuntura:

O déficit comercial da saúde – Economista Álvaro Garcia

Fatores associados a óbitos neonatais no Rio Grande do Sul em 2014 – Estatística Marilyn Agranonik

Por que vale a pena subsidiar o transporte público – Economista Ricardo Brinco

Recrudescimento do protecionismo global: desafios para o Brasil e para o RS – Internacionalista Robson Valdez

Anelise Rublescki – Jornalista FEE

Texto: Núcleo de Imprensa - FEE