FEE organiza programação especial para comemorar seus 43 anos

No dia 13 de novembro, a FEE completa 43 anos. Nesta trajetória, a instituição tem produzido estudos, estatísticas e indicadores que ajudam a compreender a realidade do Rio Grande do Sul e apoiam o desenvolvimento de políticas públicas. Para marcar a data, preparamos uma programação especial. A entrada é gratuita, não é necessário se inscrever antecipadamente e haverá emissão de certificado aos participantes. Acompanhe abaixo e participe!

Programação:

8 de novembro

14h – Lançamento da publicação FEE Setorial, analisando o segmento de Celulose de Mercado.

Mediação: Fernanda Queiroz Sperotto (Economista da FEE)

Palestrantes:

– Walter Lídio Nunes (Presidente da Celulose Riograndense), com o tema “Perspectivas do setor de celulose para a economia gaúcha e brasileira”.

– Darci Antônio Tartari (Diretor Técnico da Superintendência do Porto de Rio Grande), com o tema “Efeitos da expansão do setor de celulose para a dinâmica regional do Estado”.


Local: auditório da FEE

O que é: A FEE Setorial é uma publicação on-line com ênfase em estudos setoriais da economia do Rio Grande do Sul, que tem o objetivo de fornecer um panorama atual sobre os setores produtivos de destaque, quer por sua participação na economia gaúcha, quer por seu potencial estratégico para o desenvolvimento regional do Estado. O primeiro número da FEE Setorial aborda o segmento de celulose de mercado. Vale destacar que esse setor protagonizou, nos últimos quatro anos, um importante investimento, e seus resultados já são percebidos na economia gaúcha, especialmente no âmbito das exportações.

 

9 de novembro

10h – Lançamento da Carta de Conjuntura FEE especial, discutindo perspectivas para a economia gaúcha em 2017.
Apresentação: Martinho Lazzari (Diretor Técnico da FEE)
Local: auditório da FEE

O que é: A Carta de Conjuntura é uma publicação mensal, que tem por objetivo analisar as questões mais importantes da conjuntura econômica nacional e regional. No mês em que a FEE comemora 43 anos, todos os textos da Carta de Conjuntura irão discutir o mesmo assunto, ajudando a debater o cenário econômico do próximo ano. Nessa edição, também haverá o lançamento do novo layout da publicação.

 

10 de novembro

10h – Lançamento do Relatório “Atividades Características do Turismo no RS em 2013”, que apresenta o peso das atividades do Turismo no PIB da economia gaúcha. Com o estudo, também é possível identificar as localidades e regiões que possuem maior intensidade de oferta de serviços voltados aos turistas.

Apresentação: Guilherme Risco e Tomás Fiori (Economistas da FEE)
Local: auditório da FEE

O que é: Nesse trabalho, é calculado, para o RS como um todo, o Valor Adicionado Bruto (VAB) das Atividades Características do Turismo (ACTs) para o ano de 2013. O resultado é apresentado conforme a estrutura de divulgação do PIB Estadual, mostrando como cada setor contribui para o turismo. Além disso, estima-se, para cada município e região turística do Rio Grande do Sul, qual é a participação do conjunto de atividades características do turismo no total da economia.

16h – Lançamento do livro “Aglomerações e Arranjos Produtivos Locais no Rio Grande do Sul” na Feira do Livro de Porto Alegre. A obra traz a síntese dos resultados de pesquisa feita pela FEE em onze Aglomerações Produtivas do RS, com a finalidade de estudar os elos de sua cadeia produtiva e os fatores que condicionam a competitividade das empresas, visando prover informações para a elaboração de ações destinadas ao seu desenvolvimento.
Apresentação: Rodrigo Morem da Costa (Economista da FEE e um dos organizadores do livro)

Local: Auditório Barbosa Lessa do  Centro Cultural CEEE Érico Veríssimo – R. dos Andradas, 1223.

O que é: No e-book, estão contemplados: o Arranjo Produtivo Local da Saúde em Pelotas; o Arranjo Produtivo Local de Pedras, Gemas e Joias do Corede Alto da Serra do Botucaraí; Aglomeração produtiva (AP) de máquinas e implementos agrícolas dos Coredes Central e Jacuí-Centro; a Aglomeração Produtiva de Máquinas e Implementos Agrícolas dos Coredes Alto Jacuí e Produção (AP Pré-Colheita); a Aglomeração Produtiva de Componentes Eletrônicos, Automação e Controle no Corede Metropolitano Delta do Jacuí e no Município de São Leopoldo; Aglomeração produtiva de máquinas-ferramenta da região do Corede Vale do Rio dos Sinos e municípios adjacentes; o aglomerado produtivo (AP) Metalmecânico e Automotivo da Serra; Arranjo Produtivo Local de Móveis da Serra Gaúcha; APL Calçadista Sinos-Paranhana: o segmento de calçados de alto valor agregado; a Aglomeração Produtiva de Laticínios da Região Fronteira Noroeste-Celeiro; e a Aglomeração Produtiva de Laticínios do Vale do Taquari.

Gisele Reginato – Jornalista

Texto: Núcleo de Imprensa - FEE