FEE recebe alunos do curso de Economia da Unisinos

Na tarde desta segunda-feira (20), estudantes do curso de Economia da Unisinos visitaram a FEE para conhecer a estrutura da instituição e entender como ocorre a produção de dados socioeonômicos. O Presidente da FEE, Igor Morais, explicou aos alunos a importância da Fundação como a maior fonte de dados sobre o Rio Grande do Sul.

DSCN3065

O Presidente Igor Morais apresenta o trabalho da FEE aos alunos de Economia da Unisinos

“Na FEE, profissionais de diferentes áreas fazem análises estruturais e conjunturais. É preciso olhar o passado, através desses dados, para termos condições de entender o futuro”, avalia Igor. O Presidente apresentou algumas áreas que a FEE analisa, como Agronegócio, Indústria, Ciência e Tecnologia, Finanças Públicas, Segurança, Desenvolvimento Regional, Educação, Saúde, Demografia e Previdência, Políticas Públicas, Emprego, Economia criativa, Política econômica, Contas Regionais, Indicadores sociais e ambientais. “O grande desafio da instituição é conversar horizontalmente entre os departamentos que estudam e analisam cada setor. Assim, cumprimos nossa função de gerar informação para que alunos, pesquisadores e a sociedade em geral possam acessar tanto os dados disponíveis quanto a interpretação sobre o que esses dados representam”, analisa.

Gisele Spricigo, professora da disciplina de Economia Introdutória da Unisinos, destaca a importância de apresentar o trabalho da FEE aos futuros economistas. “A FEE é uma instituição que sempre fez um casamento muito bom com a academia. É um espaço de aplicação do conteúdo e faz isso com muita qualidade. Somos privilegiados no Rio Grande do Sul por termos uma instituição como a FEE, que impacta não só na área pública, na geração de políticas públicas, mas também na área privada. É ótimo os alunos conhecerem o dia a dia de lugares onde podem trabalhar direta ou indiretamente”, avalia. Tiago Moreira do Prado, aluno de Economia do primeiro semestre, disse que gostou muito de conhecer como pode ser o futuro profissional. “É muito importante conhecer as instituições em que eu e meus colegas podemos trabalhar depois de formados, qual o dia a dia de um economista, que procedimento usa para analisar os dados, qual o conceito econômico que ele aprendeu na graduação e está usando no seu cotidiano quando vê um dado no computador. Esse aprendizado me fez crescer bastante”, aponta.

Gisele Reginato – Jornalista

Texto: Núcleo de Imprensa - FEE