Mais disputa por vagas eleva desemprego na RMPA

O número aberto de vagas na Região Metropolitana de Porto Alegre (RMPA) foi menor que a entrada de pessoas no mercado de trabalho. Com mais gente procurando uma vaga, o desemprego aumentou. É o que revelam os dados da Pesquisa de Emprego e Desemprego (PED-RMPA) de abril  divulgada nesta quarta-feira, 27, na sede do DIEESE. A taxa de desemprego total subiu de 6,2% em março para 7,1 % da população economicamente ativa (PEA) em abril, somando 134 mil pessoas.

pedabril

Virgínia Donoso, pesquisadora do DIEESE, explica que essa elevação do desemprego se deve ao aumento da PEA, que teve um ingresso de 43 mil pessoas, superior ao número de vagas abertas (24 mil). Os segmentos da indústria e construção tiveram um bom desempenho, absorvendo quatro mil pessoas cada um, mas insuficiente. Contudo, o Rio Grande do Sul se mantém com a taxa mais baixa de desemprego entre as seis regiões metropolitanas pesquisadas pela PED. “Com exceção de Fortaleza, todas as regiões metropolitanas tiveram elevação do desemprego em março e abril. Salvador aparece com a taxa mais alta, 17,5%. Se olharmos o desempenho desse mesmo período em 2013 e 2014, veremos que 2015 apresenta taxas mais elevadas, semelhante ao comportamento de 2012, que depois recuou. Vamos ver qual será a tendência”, analisa Virgínia.

O economista da FEE Raul Bastos pondera que, dentre os vários fatores possíveis, os motivos que podem explicar o aumento significativo na PEA é a elevação do desemprego dos chefes de domicílio e a movimentação em 2014. “No ano passado houve uma saída importante de pessoas do mercado de trabalho e já esperávamos que em algum momento isso iria se reverter”, explica Raul. Responsável pelo mapeamento dos perfis da PEA, a economista da FEE Iracema Castelo Branco chama a atenção para a velocidade dessa reversão e para os recortes que ajudam a entender quem está novamente procurando emprego. “Em 2014, o grupo mais expressivo que deixou de fazer parte da PEA foi o de jovens. Na faixa de 16 a 24 anos saíram 30 mil e na de 25 a 39 anos saíram 27 mil. Agora, presenciamos um rápido retorno. Somente em abril, 25 mil jovens voltaram a procurar emprego, há uma reversão em grande velocidade”, aponta Iracema. Outro contingente forte de regresso ao mercado de trabalho são as pessoas com mais de 60 anos. Foram 21 mil desse segmento procurando emprego apenas em abril. Ou seja, jovens e idosos voltaram a disputar uma vaga.

Com relação aos rendimentos, a PED revela redução da renda em 1,2% entre os ocupados e de 1,7% entre os assalariados. A renda ficou estável para os autônomos.

A pesquisa PED-RMPA é executada pela FEE, em convênio com FGTAS, PMPA, SEADE, DIEESE e apoio financeiro do MTE/FAT.

Acesse a pesquisa na íntegra.

Texto: Núcleo de Imprensa - FEE