O mercado nacional de autopeças e a invasão dos importados

O setor de autopeças segue sua série de resultados negativos, que já se estende há oito anos. Com exportações praticamente estagnadas e importações crescentes, no centro da crise se encontra a combinação de dois fatores: o agressivo investimento dos fabricantes do Leste Asiático, como Coreia do Sul e China, que produzem peças de baixo custo e qualidade duvidosa; e a defasagem tecnológica e os altos preços praticados no Brasil. O rombo na balança comercial do setor no primeiro semestre de 2014 é de US$ 5,7 bilhões.
Gostaria de entender mais sobre o assunto?
Artigo do Economista e Pesquisador da FEE Ricardo Brinco sobre o tema disponível aqui.

Texto: Núcleo de Imprensa - FEE