Recuperação da agropecuária e recuo da seca impulsionam PIB de municípios gaúchos

O Produto Interno Bruto (PIB) do RS apresentou em 2013 um crescimento nominal de 15,3%. O setor que mais contribuiu para este desempenho foi a agropecuária, que cresceu 76,7% graças à recuperação da seca de 2012. Os setores de serviços e da indústria também apresentaram variações positivas, de 13,8% e 6,3%, respectivamente. Os dados foram divulgados nesta sexta-feira (18) pela Fundação de Economia e Estatística e pelas demais instituições estaduais, em conjunto e sob a coordenação do Instituto Brasileiro de Geografia e Estatística (IBGE), com ênfase no PIB municipal.

Os cinco municípios gaúchos que apresentaram maior crescimento em 2013 têm a agropecuária como principal setor da economia. São eles: São Miguel das Missões (167 %), André da Rocha (156 %), Três Arroios (143%), Boa Vista do Cadeado (141%) e Bozano (131%). Carolina Agranonik , economista da FEE, ressalta que “estes resultados decorrem da recuperação da estiagem de 2012 e de bons preços no setor”.

O gráfico abaixo evidencia a taxa de crescimento dos dez municípios com maior ganho de participação no PIB em 2013. Tupanciretã foi o município que mais cresceu, graças à recuperação da soja. Rio Grande obteve o maior ganho de participação devido ao elevado crescimento nos serviços e na produção de outros equipamentos de transporte. Cruz Alta e Passo Fundo apresentaram crescimento do comércio de combustíveis e Gravataí se destacou na produção de automóveis.

Dez municípios gaúchos que mais cresceram em participação no PIB – 2013

Fonte: IBGE - FEE

Fonte: IBGE – FEE

 

Por outro lado, com perda de participação no PIB do Estado em 2013, registra-se Osório, que, embora não tenha tido a maior queda absoluta de participação, foi o município que mais caiu em termos relativos (-38,5%), devido à suspensão da exportação de petróleo pelo município e consequente perda na arrecadação de impostos. Entre os motivos para as demais perdas de participação destacam-se a queda na participação na indústria do Estado, no setor de serviços e na arrecadação de impostos em Porto Alegre; perda de participação na indústria e nos serviços em Caxias do Sul; recuo de participação da indústria, especificamente no setor de alimentos e de equipamentos de transporte, e serviços (comércio atacadista) em Pelotas; e queda da participação nos impostos e serviços em Triunfo.

Em março de 2015, o IBGE divulgou a nova série do PIB nacional (Referência 2010), incorporando diversas mudanças conceituais e metodológicas com a finalidade de aperfeiçoar a aferição dos resultados econômicos do País. Em novembro o processo teve continuidade com a divulgação das Contas Regionais entre 2010 e 2013 e agora se conclui com a divulgação do PIB dos municípios.

Cinco municípios gaúchos (Porto Alegre, Caxias do Sul, Canoas, Gravataí e Rio Grande) estão entre os 100 maiores PIBs do Brasil. Em 2013, em comparação com o PIB de 2012 da série antiga, Porto Alegre manteve a mesma participação no PIB do país (1,1%), e a mesma colocação entre as capitais de Estado (sétimo), mas perdeu uma posição na lista geral de municípios para Campos dos Goytacazes, passando para oitavo.

Para Roberto Rocha, Coordenador do Núcleo de Contas Regionais da FEE, “o desempenho de Porto Alegre é significativo, porque, enquanto na nova metodologia, o Rio Grande do Sul perde participação, o município de Porto Alegre a mantém. Isso ocorre pela especialização de Porto Alegre em serviços”.

Íntegra do estudo

Anelise Rublescki – Jornalista, com dados do Núcleo de Contas Regionais da FEE

 

Texto: Núcleo de Imprensa - FEE