Diminui desigualdade no mercado de trabalho entre mulheres e homens mas desemprego cresce

Em 2015, o desempenho negativo do mercado de trabalho foi decorrente da intensa retração do nível de atividade econômica, tanto no plano nacional quanto no regional. Os indicadores da inserção ocupacional feminina e masculina refletem o comportamento geral do mercado de trabalho, que já tinha sido desfavorável no ano anterior, após trajetória de 10 anos com desempenho positivo.

A taxa de desemprego na Região Metropolitana de Porto Alegre (RMPA), em 2015, apresentou a maior elevação já registrada na PED-RMPA, cuja primeira média anual é de 1993. Destaca-se que o desemprego cresceu para ambos os sexos, mas a intensidade foi menor para as mulheres, contribuindo para reduzir a desigualdade entre a taxa de desemprego feminina e a masculina — menor patamar da série histórica da Pesquisa.

O mundo do trabalho é um dos campos da vida social de maior importância para a construção da autonomia e a constituição de identidade pessoal, para o reconhecimento social e para o acesso a bens de consumo, dentre outros fatores. A evolução dos indicadores do mercado de trabalho na Região, na última década, mostra avanços na redução das desigualdades de gênero, no âmbito laboral. Todavia, as mulheres continuam enfrentando maiores dificuldades de acesso e inserção no mercado de trabalho, principalmente nas ocupações de melhor qualidade, além de auferirem menor remuneração comparativamente à dos homens.

Download do texto completo