Impactos da Rede de Parceria Social sobre a Economia do Rio Grande do Sul

Este estudo tem o objetivo de analisar os impactos de 197 projetos sociais implementados pela Rede Parceria Social (RPS), edição de 2007-08, sobre a economia do Rio Grande do Sul. A abordagem metodológica utilizada foi a da matriz de insumo-produto, que permite a estimação dos efeitos diretos, indiretos e induzidos sobre a economia gaúcha. Isso possibilita uma avaliação ampliada do campo de influência dos dispêndios executados pela Rede sobre algumas variáveis econômicas básicas, como o Valor Bruto da Produção (VBP), o Produto Interno Bruto (PIB), o emprego, o nível de rendimento das famílias gaúchas e o Imposto Sobre Circulação de Mercadorias e Serviços (ICMS).

As múltiplas áreas de atuação dos projetos da Rede foram sintetizadas em quatro blocos de indicadores socioeconômicos, conforme o Índice de Desenvolvimento Socioeconômico (Idese), quais sejam: Educação, Renda, Saneamento e Domicílios e Saúde. Os resultados dessa classificação apontam a concentração dos projetos nas áreas de Educação, Renda e Saneamento e Domicílios, com participações respectivas de 38,7%, 33,5% e 21,1% no total de projetos implementados, enquanto, para a Saúde, foram destinados 6,7%.

Download do texto completo